segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Românticos cegos e suas solidões



Fred é um cara que gosta de levar a vida dia após dia. Ele cumpre fielmente seus compromissos no estudo, é admirador da música nacional, em especial do rock, gosta de se encontrar com os amigos no final da semana, geralmente as sextas, e, assim como a maioria dos brasileiros, é apaixonado por futebol. Costuma se interessar por meninas que possuem gostos musicais semelhantes aos seus, mas devido a contratempos em relacionamentos anteriores, Fred se tornou um rapaz cauteloso que tenta enganar seus próprios sentimentos, fugindo das relações sérias para aquelas com o compromisso de uma noite só. Diz que tudo está bem assim. Como já ficou entendido: tem medo de se relacionar.

Daniela adora filmes, principalmente as comédias românticas, em que a mocinha e o mocinho costumam acabar juntos e felizes. Gosta de ir à praia com as amigas e de escutar MPB. Detesta rótulos e comparações. Sempre achara o ballet bonito, mas não desenvolveu o talento depois de algumas aulas e largou o curso – acabando assim com o sonho da mãe. Nunca conseguiu encontrar o príncipe dos filmes infantis ou o namorado ideal das comédias românticas, pelo contrário, contraiu relacionamentos que a decepcionaram com homens que não souberam valorizá-la. Não era menina de uma só noite, como ela afirmava. Mas, ultimamente, tem se dedicado a badalações a fim de mascarar, para suas amigas, aquilo que se passa dentro do seu coração.

Talvez esse seja o principal ponto em comum entre Fred e Daniela: os dois vivem uma solidão que ninguém deseja, ninguém busca, ninguém quer.

Todo Fred quer encontrar uma mulher que o escute, que o compreenda, que saiba dar apoio. Quer também uma mulher que não se preocupe em demasiado com seu porte físico, que até goste da lombada que possui na barriga, que não hesite em ficar em casa no final de semana para assistir séries com um grande senso de humor, que o deseje boa noite e que ligue pra dizer um último “tchau, te adoro” antes de dormir. Resumindo, todo Fred quer uma Daniela.

Toda típica Daniela quer um rapaz que não ligue para suas celulites, que assista romances comendo pipoca e brigadeiro, que provoque um pouco de ciúmes - para logo mostrar seu lado possessivo e gritar aos quatro cantos “aquele cara é meu”. Quer um cara que a leve para passear por lugares tranqüilos, que tome um sorvete no final da tarde na sorveteria próxima à praia, que a respeite quando estiver naqueles dias - mas que nesses dias não dê risadas na sua frente, ou que simplesmente não a provoque. Sendo breve, toda Daniela quer um Fred.

Aí eu vejo tanto Fred confuso e tanta Daniela desacreditada.

Desculpem-me pela pergunta:

Será mesmo que Fred está pedindo muito? Será que Daniela é muito exigente?

2 comentários:

  1. Daniela não é exigente, ela só quer amar. O problema é que o amor é muito confuso.

    ResponderExcluir